Boas práticas de programação com o Clean Code

Publicado por Atlas Technologies em

O Clean Code (ou “código limpo”) pode ser definido como um conjunto de técnicas aplicadas para o desenvolvimento de um software – técnicas essas que visam facilitar a leitura de um código. Ele surgiu e foi amplamente difundido a partir do livro “Clean Code: a handbook of agile software”, escrito por Robert Cecil Martin, em 2008 – e é quase que uma leitura obrigatória para todo programador.

Neste artigo, você vai entender melhor o que é um Clean Code, como ele deve ser e como escrever um código adequado a esse modelo.

Vamos lá?

O que é um Clean Code?

Como você já viu, o Clean Code pode ser considerado um conjunto de técnicas que visam facilitar a leitura de um código. Esse conceito foi criado por Robert C. Martin, em 2008 – ou seja, o Clean Code é um termo recente na literatura dos programadores.

Robert – que atua na área de desenvolvimento desde 1970 – percebeu que o principal gargalo de um software está na sua manutenção. Para ele, não basta um código funcionar, mas estar mal escrito desde a sua primeira versão, pois isso acaba gerando muito prejuízo: e você sabe por quê? Quanto mais limpo for um código, menos gastos com manutenção ele irá gerar.

Um código limpo também capacita o software para novas atualizações e melhorias. Isso porque, um código nunca será considerado 100% finalizado, pelo contrário, sempre haverá necessidade de atualizações e aplicação de novas funcionalidades. 

Isso acontece porque os requisitos do negócio mudam, as necessidades do usuário mudam e, consequentemente, o código escrito também precisará evoluir. Por isso, quanto mais legível for um código, mais fácil será sua leitura, entendimento, mudança e até mesmo a sua correção. E é esse o princípio básico do Clean Code: escrever códigos com alta legibilidade. 

E como deve ser um Clean Code?

Para que um código seja o mais limpo possível, primeiramente, ele precisa ser simples e direto, já que quanto menos complexo ele for, mais fácil será sua leitura. Vale ressaltar que quanto mais claro for o código, menos necessidade de comentários ele irá demandar (portanto, quanto menos comentários, melhor será código).

O código, por ser programado para atender a um objetivo específico, também precisa ser eficiente. Ou seja: se ele foi desenvolvido para atender a uma necessidade X, ele simplesmente precisa cumprir com a sua função. 

Além disso, um clean code precisa ser o menos ambíguo possível, portanto, uma vez que ele seja inserido em algum lugar no código-fonte, ele não deve ser implementado novamente. 

Dá para perceber que isso tudo irá depender de um olhar atento e cuidadoso do programador, certo? O profissional deve procurar ter o máximo de atenção possível na elaboração de um código limpo, já que se ele for mal escrito desde o início, isso impactará na sua manutenção, trazendo grandes prejuízos e lentidão para entendê-lo.

Como escrever um código adequado ao Clean Code?

A teoria você já entendeu, certo? Mas, e a prática? Como deve ser escrito um clean code? Para que um bom código seja escrito, há alguns pré-requisitos que precisam ser seguidos.

Primeiro de tudo: todo código precisa de um nome. E não importa o tamanho desse nome, contanto que ele seja direto e represente da melhor forma possível o que o código significa. Vale ressaltar que um bom nome também dispensa comentários – o que é outro ponto importante de se levar em consideração. 

Quanto aos nomes de classe, é importante que se evite palavras conflitantes com os componentes da linguagem, usando substantivos em vez de verbos. Já com os nomes de métodos, é preferível que eles contenham verbos e expressem a intenção do desenvolvedor, como “ExcluirPagina”.

Um bom código, para melhorar a sua legibilidade, também precisa ser bem formatado. Ainda assim, caso ele apresente alguma falha, é preciso garantir que haja formas de tratá-la, e, por isso, é importante criar uma função para tratamento de erros. 

Por fim, mas não menos importante, o programador precisa de organização para criar com código limpo. A dica, aqui, é a criação de pacotes (ou package) para a categorização dos códigos.

Como você pode ver, criar um clean code não é um processo difícil e, se bem executado, traz mais facilidade e clareza ao trabalho dos programadores. 


0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *