5 dúvidas mais frequentes da profissão programador 

Publicado por Atlas Technologies em

homem sentado na grama com um notebook no colo, ao fundo está um lago

Não há dúvidas de que, com o frequente avanço da tecnologia, a profissão de programador é uma das mais promissoras do mercado atual. Isso acontece porque o programador, atuando diretamente na área de TI (Tecnologia da Informação), é responsável por criar, desenvolver e manter diferentes tipos de softwares, seja para sistemas mais amplos ou para uso em computadores pessoais. 

O programador é o profissional apto a desenvolver programas e aplicativos (como apps de mensagem, relacionamento, jogos, bancos etc.), bem como sites e páginas da internet. Dá para entender porque esse profissional é tão importante, principalmente nos dias de hoje, não é mesmo?

Por ser essa área tão dinâmica e em constante crescimento, cada vez mais pessoas almejam a profissão. Mas, como acontece em todas as áreas, é preciso ter um perfil específico para se tornar programador. Por isso, para ajudá-lo a traçar esse perfil (e, quem sabe, ver se você se encaixa nele), separamos 5 dúvidas mais frequentes sobre a profissão. Vamos a elas?

1. O que um programador precisa estudar?

A carreira de programador não exige curso superior específico, mas, sem dúvidas, o profissional que investe em algum curso na área terá um diferencial importante no mercado.  Entre os cursos que contemplam a área de programação, merecem destaque:

  • Análise e Desenvolvimento de Sistemas
  • Gestão de Tecnologia da Informação
  • Engenharia da Computação
  • Ciência da Computação
  • Sistemas de Informação
  • Engenharia de Software

Com base nos cursos listados, não há dúvidas de qual seja a “matéria-prima” dessa profissão, não é mesmo? Cálculo… muito cálculo! Por isso, se você não é muito fã da área das exatas, é melhor pensar duas vezes antes de se tornar um programador. 

Ainda é importante ressaltar que, além da formação acadêmica, também é possível se tornar um programador por meio de cursos online disponíveis no mercado – com a Alura e a Udemy e diversos conteúdos gratuitos no Youtube, aliás, separamos três guias completos para você se tornar um programador Back-End, Front-End ou QA. Essa é uma ótima opção para quem está em processo de transição de carreira – já que esse tipo de curso é mais rápido e pode ser realizado em casa mesmo.

2. Como praticar?

Independentemente de o futuro programador optar por fazer uma graduação na área, será preciso estudar e se dedicar muito, especificamente as linguagens de programação e os modos de funcionamento dos sistemas computacionais. Uma boa possibilidade de ganhar prática é procurar por estágios na área – inclusive, essa é uma etapa obrigatória para qualquer curso superior, e muitas empresas oferecem essa possibilidade.

3. Quanto tempo para estar pronto?

Isso vai depender do tipo de preparação que o futuro programador investir. 

O curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas, por exemplo, possui formato de superior tecnológico, por isso é mais rápido, com duração média de 2 anos. Por outro lado, o curso de Ciência da Computação, por formar profissionais bacharéis, é mais longo, levando em média 5 anos para ser concluído.  

Já o curso de Sistema da Informação é oferecido nos dois formatos: superior (com 4 anos de duração) e tecnológico (compreendendo 2 anos). 

4. Quais habilidades um programador precisa ter?

Para se tornar programador, é fundamental que o profissional tenha raciocínio lógico, já que essa é a base para o desenvolvimento de sistemas. Ter facilidade de concentração, ser disciplinado, persistente e gostar de resolver problemas também são características essenciais para a área. 

5. Como me tornar um futuro programador da Atlas?

A Atlas, por investir na inovação do mercado por meio de tecnologias e pessoas, desenvolvendo softwares de impacto global, sempre terá espaço para profissionais da área da programação. 

Quem tiver interesse em fazer parte do nosso time precisa ficar de olho nas vagas para o setor de desenvolvimento, disponibilizadas no nosso próprio site. Em alguns casos, será necessário que o profissional já tenha tempo de experiência e conhecimentos específicos em determinadas áreas (confira nossos guias de estudo com as tecnologias para programador Back-End, Front-End e Quality Assurance(QA) na Atlas), mas em outros, o profissional terá a chance de aprender e crescer dentro da empresa – chance imperdível para profissionais juniores!

A seleção dos profissionais é feita por meio de análise de currículo, que pode ser enviado pelo próprio site. Se o currículo for aprovado, o profissional passará por mais três etapas: entrevista com o recrutador, entrevista técnica e, por fim, terá a possibilidade de trabalhar por duas semanas (remuneradas) para ambientação, capacitação e avaliação.  programador


0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *